A solapa nas redes sociais

Por José Geraldo da Silva, Tenente Coronel R1

A solapa que hoje grassa nas redes sociais, atingindo personagens públicas, atos administrativos e fatos sócio-políticos, é uma prática que muito se assemelha ao que ocorria “boca a boca” em todos os lugares, na década de 70 (antes da popularização da Internet), quando se espalhava nacionalmente uma onda de pessimismo orquestrada.

É evidente que a solapa, seja ela baseada em verdades, meias verdades ou mentiras, tem o propósito de desgastar e enfraquecer o seu alvo, através da formação de opinião. Essa empreitada nem sempre alcança sucesso, notadamente quando circula num meio restrito de grupos corporativos que, de algum modo, já comungam da mesma opinião. A mensagem que não tem uma característica viral que se difunda a outros segmentos torna-se inócua.

Observamos que os autores, desta feita, sequer expressam opiniões ou produzem materiais próprios, limitando-se a repassar aquilo que outros colocaram nas redes, sem uma análise acurada sobre as possibilidades de produzir o efeito desejado sobre determinado público alvo. No íntimo, se satisfazem com um prazer mórbido negativista, a ocultar a sua incapacidade de agir positivamente na direção de um objetivo maior, dentro do contexto em que cabem iniciativas producentes.

É com certo ceticismo que recebo mensagens desse tipo, repassadas por alguns companheiros que desperdiçam esforço e tempo. NÃO REPASSO, porque acredito que uma boa causa não conquista adeptos com esse instrumento; seria como entrar na guerra com cartuchos de festim ou tentar apagar fogo com extintor errado.

Contrapropaganda não se faz com improvisos aleatórios. Esperar que  solapas e lamentos sejam capazes de despertar salvadores quixotescos, é pura ingenuidade. Além disto, não vejo entre os apregoadores do caos, homens dispostos a sair das suas confortáveis trincheiras.

T C  Geraldo – Sócio n° 0376 – ASMIR/PB

Anúncios

2 Respostas to “A solapa nas redes sociais”

  1. Jose Geraldo DA Silva Says:

    Valeu! Obrigado pela publicação. J. Geraldo

  2. Obesidade por Informação | Edson Marinho Says:

    […] Em muitos casos, as pessoas encaminham os textos (no WhatsApp ou outras mídias como Facebook) ou emitem uma opinião sem sequer ter lido aquilo que encaminhou ou comentou. Geraldo, meu pai, já havia escrito sobre isso há 2 anos atrás no artigo A solapa nas redes sociais. […]


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: